WeCreativez WhatsApp Support
Nossa Equipe está aqui para responder às suas perguntas.
Oi, como podemos ajudar?
HILAGRO: pastas e farinha paraguaias para o mercado brasileiro.
25 de julho de 2011
Exposição Industrial apresenta potencial produtivo e atrai novos investidores
25 de julho de 2011
Exibir tudo

MERCOSUL

Mercosul

Mercosul

Paraguai e Uruguai avançam na integração com o Brasil.

Exportações industriais paraguaias crescem 56% nos primeiros cinco meses.

Indústria uruguaia vende USD 503 milhões com crescimento de 32% no ano.



Continuando o crescimento iniciado em 2009, a indústria paraguaia aumentou em quase 57% suas vendas ao mercado nacional nos primeiros meses do ano, quando a exportação de manufaturados chegou a USD 156 milhões,  equivalentes a 66% das exportações totais do país ao Brasil no referido período.

O que demonstra uma mudança radical na pauta exportadora guarani, uma vez que até 2009, os produtos primários representavam mais da metade das vendas ao nosso mercado.

Neste ano, os destaques da indústria paraguaia são as manufaturas de cobre – cabo e fios-, as vendas de máquinas e equipamentos e os eletroeletrônicos.

A incorporação de produtos vendidos formalmente, como CDs e DVDs virgens e equipamentos de som automotivo, até então comercializados somente via sacoleiros, é a grande responsável pelo excelente desempenho do setor eletrônicos, enquanto na metalurgia vão surgindo novas empresas que aproveitam da energia barata e abundante no país.

Confecções e indústria plástica continuam a crescer

Desde 2010, o Brasil converteu-se no principal mercado para os confeccionistas paraguaios, deslocando os argentinos para o 2º lugar, depois de aquele ser o principal mercado por muitos anos.

Nos primeiros cinco meses, as vendas de confecções já alcançaram USD 14 milhões, ou 290% a mais do que no mesmo período de 2009.

Cada dia é mais comum encontrarmos em lojas de grife, nas grandes capitais, o selo “made in Paraguay”, sendo cada vez mais comum a parceria entre indústrias brasileiras e paraguaias, uma vez que no Brasil, as empresas encontram crescentes dificuldades com a mão de obra.

O mesmo processo vem ocorrendo com o setor de plásticos, cujas exportações já alcançaram USD 27 milhões este ano, 200% a mais do que a dois anos atrás.

Aqui, são o custo da energia elétrica, muito mais baixo no Paraguai, e o enxuto sistema tributário guarani, os grandes responsáveis pelo grande aumento das vendas.

Exportações industriais Paraguai-Brasil, primeiros cinco meses de 2011.

Dinamismo uruguaio

Embora o Paraguai seja o país de maior evolução nos últimos anos, em termos de crescimento em vendas, é o Uruguai que melhor se aproveita do MERCOSUL até o momento.

A indústria uruguaia exportou ao Brasil quase USD 1,25 bilhões em 2010, contra pouco mais de USD 300 milhões dos paraguaios.

E a indústria charrua já aumentou em 32% suas vendas ao mercado brasileiro este ano.

Leve-se em consideração que as indústrias uruguaia e paraguaia possuem basicamente o mesmo tamanho.

Qual o segredo charrua?

Os empresários uruguaios aprenderam, desde o inicio da última década, a investir em conhecimento das necessidades do mercado brasileiro, adequando seus produtos tanto às normas técnicas como ao gosto do consumidor nacional, enquanto muitos empresários paraguaios ficaram parados no mito de que o Brasil impunha barreiras a seus produtos.

De produtos químicos e farmacêuticos a automóveis e pneus, a indústria uruguaia está cada dia mais presente em nosso mercado.

Já do outro lado do rio Paraná. sem investimento em marketing ou adequações técnicas, muitas empresas paraguaias ainda tentam empurrar seus produtos através do caminho mais fácil do contrabando fronteiriço, perdendo, com isso, possibilidades de crescimento sustentável no nosso mercado.

O que, por outro lado, gera oportunidades aos diversos empreendedores brasileiros, que podem aproveitar, procurando, no mercado paraguaio, fornecedores para as crescentes necessidades do maior mercado consumidor do continente.

Os comentários estão encerrados.

EnglishPortugueseSpanish